MORO DIZ QUE NÃO PODE “CENSURAR” IMAGENS ILEGAIS DA COERCITIVA DE LULA EM FILME

MORO DIZ QUE NÃO PODE “CENSURAR” IMAGENS ILEGAIS DA COERCITIVA DE LULA EM FILME

Gravação teria sido cedida à Veja e à produtora pela PF

O juiz Sergio Moro já deu uma resposta à defesa de Lula sobre um pedido para impedir que uma suposta gravação da condução coercitiva do ex-presidente seja exibida em meios de comunicação e pela produção “Lava Jato – A Lei é Para Todos.” Moro disse que não pode fazer nada para impedir eventual vazamento, pois não cabe a ele “impor censura” à imprensa.

“Observo inicialmente que não cabe a este Juízo impor censura a veículos de comunicação ou mesmo à produção de algum filme. Não são eles sequer partes deste processo [que investiga a participação de Lula nos esquemas apurados pela Lava Jato]”, disse Moro.

A defesa entrou com a reclamação na tarde desta sexta (24), após a revista Veja noticiar que no filme sobre a Lava Jato serão utilizadas as imagens da condução coercitiva de Lula, gravadas ilegalmente pela própria Polícia Federal.

Apesar de Moro ter proibido qualquer registro da ação que ocorreu em 4 de março de 2016, a gravação teria sido cedida à Veja e à produtora do filme. Veja ainda afirmou que foi um agente da PF, com câmera acoplada ao uniforme, quem fez as imagens.

Para Moro, contudo, se essa notícia fosse real, o portal já teria divulgado a gravação. “Não consta que qualquer gravação efetuada durante a diligência de condução coercitiva tenha sido disponibilizado à produção do filme ou a qualquer veículo de imprensa. Se o último fato tivesse ocorrido, aliás, provavelmente tais imagens já teriam sido publicizadas”, disse.

O juiz, ao final, decidiu intimar a Polícia Federal para “prestar oportunos esclarecimentos” sobre a queixa da defesa de Lula.

Os advogados do ex-presidente questionaram o fato de o financiamento do filme sobre a Lava Jato ser sigiloso e Lula ser o alvo central dos ataques. “A quem interessa macular a imagem do ex-presidente, justamente quando simulações de institutos de pesquisa o colocam em posição de destaque na disputa presidencial de 2018?”, indagaram.

A PF tem 5 dias para se manifestar.

Do JornalGGN:

Comentários

%d blogueiros gostam disto: