SILVIO COSTA: QUEREMISMO EXIGE A VOLTA DE LULA

SILVIO COSTA: QUEREMISMO EXIGE A VOLTA DE LULA

O deputado federal Silvio Costa (PTdoB-PE) afirma que “o queremismo está instalado no Brasil” e exige a volta do ex-presidente Lula ao poder. Ele contesta as acusações do Judiciário contra o petista e assegura: “eles não vão conseguir (torná-lo inelegível). Lula será candidato”.

“Lula já é o brasileiro mais investigado da história do Brasil. Aquele apartamento não é do Lula, aquele sítio não é do Lula, ele não tem conta no exterior. Mais de 70 testemunhas estiveram com o juiz Sergio Moro e nenhuma acusou o presidente Lula. Eu quero saber qual é a engenharia jurídica que parte do judiciário poderá fazer para deixar o presidente Lula inelegível”, questionou o deputado.

“Não é justo o que parte do Judiciário quer fazer com o presidente Lula. Mas eles não vão conseguir, Lula será candidato”, acrescenta. “Até porque está instalado o queremismo no Brasil”, afirma. “Na década de 1940, existia um queremismo para que Getúlio Vargas continuasse no poder. Agora existe um queremismo para que o presidente Lula volte”, ressalta.

“Ele vai voltar porque nós precisamos retomar as políticas de inclusão social, para garantir os direitos dos trabalhadores, para garantir que efetivamente os brasileiros sejam respeitados”, destaca ainda Silvio Costa.

Uma das vozes mais contundentes contra o impeachment de Dilma Rousseff em 2016, o parlamentar acompanhou os dois ex-presidentes em Monteiro, na Paraíba, na cerimônia de inauguração da transposição do rio São Francisco, onde estiveram cerca de 30 mil pessoas (leia mais).

“Muito mais que levar água ao sertão, a transposição é uma obra que significa compromisso de um homem com os menos favorecidos, com o Estado de bem estar social”, define Silvio Costa. “Lula foi ovacionado porque é um homem que tem cheiro de povo e chegou no coração de milhões de brasileiros e brasileiras. Foi um momento profundamente emocionante da política brasileira”, descreve.

“Acho que foi um dos maiores eventos da história política do Brasil. Não foi um comício, não foi um lançamento de candidatura”, acrescentou. O Ministério Público da Paraíba vai investigar o ato para apurar eventual irregularidade eleitoral.

“Foi uma celebração a uma causa, a causa dos nordestinos. Era uma obra que já era comentada há 500 anos, mas nenhum governo teve coragem de tirar ela do papel. Foi o governo do PT que levou água, esperança e, acima de tudo, cidadania para o Nordeste brasileiro”, continuou o deputado.

Por Gisele Federicce, 247

Comentários

%d blogueiros gostam disto: