Em depoimento à CPI da Saúde, Assad confirma pedido de propina

Em depoimento à CPI da Saúde, Assad confirma pedido de propina

Amparado por um habeas corpus e acompanhado do advogado, o empresário Afonso Assad não respondeu às perguntas dos distritais durante depoimento à CPI da Saúde, na Câmara Legislativa, na manhã desta quinta-feira (27/10). Mas confirmou o depoimento feito ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), de que teria sido procurado por emissários de dois deputados para pagar propina com dinheiro de emendas parlamentares.

O presidente da CPI, Wellington Luiz (PMDB), tratou o depoimento como “decepcionante”. “O que ele disse ao MPDFT tem relevância enorme, mas seria interessante que ele falasse e respondesse aos nossos questionamentos. Precisamos saber o envolvimento de cada parlamentar e como aconteceu a dinâmica das acusações”, disse.

O depoimento de Assad ao MPDFT ocorreu em julho deste ano. Aos promotores, o empresário afirmou que se reuniu com pelo menos dois distritais: Bispo Renato Andrade (PR) e Julio Cesar (PRB). Depois, foi procurado por Alexandre Braga Cerqueira, então assessor de Bispo Renato, que teria pedido propina em nome dos parlamentares, segundo o depoimento.

O dinheiro seria de emendas destinadas à educação. “Esperávamos interesse do Assad nos ajudar a ter clareza nos fatos. Vamos continuar os trabalhos da CPI, pois é fundamental saber se houve ou não a propina”, disse Wasny de Roure (PT), relator da comissão.

Assad deixou a Câmara sem falar com a imprensa. O suposto esquema de corrupção é investigado pela Operação Drácon. Todos os deputados citados negam qualquer irregularidade.

Metropóles

Comentários

%d blogueiros gostam disto: