Editorial Jeová Rodrigues

O presidente do PSDB-DF, deputado federal Izalci Lucas, refutou a possibilidade de a legenda ter alguma responsabilidade sobre a indicação de Ilda Peliz para comandar a Secretaria de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal (Sedestmidh).

O ingresso da tucana no primeiro escalão do GDF, confirmado na terça-feira (9/1), foi antecipado pelo Metrópoles. Ilda é ex-presidente da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace).

Segundo o atual líder regional dos tucanos, o nome do partido foi usado de forma indevida. Para ele, qualquer decisão da sigla deve ser, primeiramente, aprovada pela Executiva regional, fato que não ocorreu. “Quem fala pelo PSDB é o presidente e a Executiva, não dissidentes. O PSDB não indicou ninguém, porque somos oposição ao governo. Isso, sim, está decidido”, frisou Izalci.

À coluna, o parlamentar tucano reforçou a resolução aprovada pela legenda que garante punições aos filiados que usarem o nome do partido para conseguir benesses. “Na última reunião, o PSDB decidiu que quem quisesse integrar o governo teria 30 dias para se licenciar da sigla, ou pedir exoneração do cargo.”

Izalci Lucas atribuiu o uso do nome dos tucanos como “estratégia” do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) para acreditar que tem apoio da legenda na atual gestão. “Ele está tentando cooptar todo mundo com cargo e dinheiro público. Mas com o PSDB, não. Não posso proibir ninguém de falar e de participar de nada. No entanto, não posso permitir que usem o nome do partido dessa forma”, disse.

Indicação
Ilda Peliz aceitou assumir a Sedestmidh após acertos com o ex-presidente do PSDB-DF Márcio Machado, que levou o nome da tucana a Rollemberg. Machado lidera uma ala dissente do atual comando tucano, por questionar a legitimidade da presidência de Izalci Lucas, a quem classifica como “interventor”.

Além de Márcio Machado, participa do racha tucano a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia, uma das fundadoras da legenda no DF. A tucana ocupa atualmente o comando da Secretaria de Projetos Estratégicos do GDF. Assistente social, é dela a responsabilidade de cuidar de regiões carentes, como os condomínios Pôr do Sol e Sol Nascente.

Izalci não descarta penalizar os integrantes antigos do partido. “Esse é o papel do Conselho de Ética, que está investigando a conduta de todos os dissidentes.” A punição mais severa seria a expulsão dos filiados caso continue a desobediência em relação às deliberações partidárias.

Procurado para comentar o assunto, o GDF não havia se manifestado até a última atualização deste texto.

CAIO BARBIERI METRÓPOLES

Compartilhe com seus amigos:
Categoria Denucias, Distrito Federal, JUSTIÇA, Politica.