Editorial Jeová Rodrigues

O ex-presidente Lula reafirmou sua inocência e tranquilidade diante de seu julgamento, no dia 24, no TRF-4, em Porto Alegre.

Em discurso durante ato de artistas e intelectuais em seu apoio, na Casa de Portugal, no centro de São Paulo, o petista voltou a acusar seus adversários de quererem criminalizar o PT. “Quero que o PT me indique à Presidência. Se não for como candidato, serei como cabo eleitoral. Se o PT quiser, estarei como candidato à Presidência, aconteça o que acontecer”, disse.

Lula reafirmou sua serenidade:

“Duvido que os juízes que já me julgaram e os que vão me julgar estejam tão tranquilos quanto estou. Estou com a tranquilidade dos justos e dos inocentes. Eu sei que não cometi nenhum crime”.

“O que tá em jogo nesse instante é uma coisa mais forte do que o Lula. O que está em jogo é uma coisa chamada soberania nacional. Eles estão tentando fazer com que esse país volte a ter complexo de vira lata”, completou.

247

Compartilhe com seus amigos:
Categoria CEILÂNDIA, JUSTIÇA, Lava a jato, PERSEGUIÇÃO, Politica.