Editorial Jeová Rodrigues

Acossado no Brasil pelo uso do auxílio-moradia para complementar o salário de R$ 33 mil, o juiz Sério Moro, da lava jato, é um “must” (máximo em inglês) para os Estados Unidos. Ele acabou de ser a “Pessoa do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, com sede em Nova York.

Os norte-americanos não têm o que reclamar o magistrado da lava jato. Pelo contrário. Graças às ações policialescas da força-tarefa que ele comanda, a Petrobras teve de pagar R$ 10 bilhões aos fundos abutres estadunidenses em decorrência de suas investigações sobre a estatal de petróleo.

Na semana que vem, provavelmente, Moro irá a Nova York receber mais um prêmio na terra do Tio Sam.

Aqui na Terra de Santa Cruz, o juiz é questionado moralmente por possuir imóvel próprio e receber auxílio-moradia de R$ 4,3 mil ao mês. Ele justificou dizendo que é para “complementar” o salário que não tem aumento.

por esmael

Compartilhe com seus amigos:
Categoria CEILÂNDIA, JUSTIÇA, Lava a jato, PERSEGUIÇÃO, Politica.