Editorial Jeová Rodrigues

Numa apuração marcada pelos gritos de “Fora, Temer”, a Paraíso do Tuiuti teve força para ir além de apenas se manter no grupo especial e se destacou entre as grandes do carnaval carioca como Beija-Flor, Salgueiro, Portela e Mocidade que durante toda a apuração disputaram nota a nota o título de 2018.

A cada quesito avaliado, a emoção tomava conta dos presentes e a expectativa crescia ainda mais a medida que a última nota seria anunciada. Era nítido que a escola de samba de São Cristóvão entraria para a história do carnaval brasileiro não apenas pelo tema sobre a escravidão e as reflexões críticas que proporcionou, mas pela garra, brilho e alegria mesmo enfrentando com coragem os poucos recursos para a confecção de seu desfile e que foram reconhecidos pelos jurados com notas respeitosas pela criatividade e ousadia.

Leia Também:   BEIJA-FLOR: NOTA DEZ EM OBEDIÊNCIA

Paraíso do Tuiuti pode não ter levado o primeiro lugar, mas o vice carnaval de 2018 será sempre lembrado por uma escola que venceu as dificuldades enfrentadas no ano anterior e trouxe para a avenida o grito dos excluídos ao longo dos séculos, aqueles que sofreram com os horrores da escravidão e cujos braços construíram a nação que somos hoje. Tuiuti traz a marca daqueles que se mostram resistência contra as perdas diárias de direitos sociais e que não se calarão nem mesmo durante a folia.

Vale ressaltar : quando a Beija-Flor fez o incrível Ratos e Urubus ficou em segundo lugar… Alguém lembra o campeão daquele ano?
Pois é… Tuiuti se eternizou!

Compartilhe com seus amigos:
Categoria CEILÂNDIA, JUSTIÇA.